segunda-feira, julho 21, 2014

REVOLTA, TUMULTO, E O VASTO RESUMO DE ATITUDES INÚTEIS

Esse blog está paradão, admito. Primeiro porque é um saco por parágrafo. Toda vez tenho que pesquisar how do it. E outra, estou com uma tremenda audiência de leitores estrangeiros que não fazem a menor idéia do que escrevo. Parece que lêem por ler. Escrevo, talvez, para meus fiéis dois leitores que estimulam demais meu exercício caótico e claudicante, mas graças a ele tornei-me ousado e destemido da petulância alheia. Vá.Fato é que agora decidi dar um passo verdadeiro para o Nirvana. Claro que não comprei uma guitarra, nem aderi ao anti-depressivo. Cheguei ao ponto em que a vida balança tanto na corda-bamba que caí no samba só pra me distrair. A arte de ir levando é uma arte nada tímida, mas decididamente corajosa. Algo muda sem o deslocamento geográfico. Algo permanece sem deixar reminiscência. Eleva sem suspensão... e blabla. Acho que estou naquela idade de pacificar inimigos. Sair da linha de tiro e se fazer inútil. Cultivo um certo abatimento na face e um interesse por tons madrepérola: parte interna de conchas, cascas de bambu, fascias musculares, alguns ossos, exoesqueleto de alguns insetos... ainda tenho um pequeno sonho de conhecer a China, mas vai passar.