quarta-feira, março 28, 2012

FELICIDADE BRUTA

A FGV está formando os parâmetros para aferir o FIB, a felicidade bruta interna num país. A idéia lançada pelo Bhutão, um país no Himalaya propõe que a qualidade de vida da população não pode ser calculada apenas pela capacidade de consumo ou produção de riquezas. Diz-se que o brasileiro é um povo feliz, pode ser. Interessa saber? Você é feliz? Outro dia no facebook um amigo postou uma frase de um desses padres bonitões e disse que as pessoas invejam a felicidade alheia a ponto de isolar os felizes. Assim, pelo alto, a felicidade é um saco! Contestei esse amigo e a resposta foi um ataque indireto das "amigas" desse amigo, evidentemente me arrolando na categoria daqueles que INVEJAM a felicidade alheia. Para arrematar esse amigo responde em caixa alta que amava a família, deus, a igreja... (chega né?) e por aí afora. Nossa, como a TFP está próxima de mim! Ser feliz é entorpecer, não importa de qual droga. Seja a química de laboratório, seja as endorfinas cerebrais. O estado de felicidade faz ver ouro no chumbo. É bom para passar o tempo mas provoca um série de transtornos no convívio social, uma hora vai haver decréscimo no índice de FIB dessa pessoa. Para mim ser feliz... deixa pensar qual seria meu ideal de paraíso provocador de uma maremoto químico. Como diria a mulher disposta: o que me deixa úmida... não seria uma überwomen, de um certo modo uma fonte monetária um pouco durável provocaria um delicioso deleite... ah, sim! Minha piscina de felicidade seria um NÃO e um FAZER. Primeiro eu queria não pagar mais contas, ou ter uma tamanha poupança que seria suficiente para eu por tudo e débito automático e esquecer de pagá-las. Queria fazer coisas divertidas.

Nenhum comentário: