sexta-feira, agosto 19, 2011

A REDUÇÃO NO TEATRO DE AGNÉS LIMBOS


Troubles por Tnglyon
Aqui está um vídeo do espetáculo TROUBLES da Cia. Gare Centrale. Falei a oficina que assisti no Espaço Sobrevento em julho, onde fiz algumas amizades notáveis e revi outros tantos amigos. Falando em amigos, alguns deles criticam o trabalho dessa senhora, no entanto, como poderão assistir no vídeo a arte de Agnés Limbos é mal apresentado nas imagens, não dá a real dimensão do projeto do espetáculo. Alias vendo o vídeo antes da oficina, confesso, fiquei propenso a NÃO participar. Entretanto a oficina tocou na cicatriz de todos nós os artistas de palco brasileiros, contaminados da marca "brasilidade", folgazã, brincante, cheia de molejo, ginga e principalmente...ansiosa, explosiva, desgastante, berrante, berrada, precipitada. Como, com essa marca impressa em nossas almas, falaremos de contenção, recorte e redução? Onde desde a nossa mais tenra idade, passados de mão em mão, dos diretores amadores e profissionais, dos mais celebrados aos mais sisudos, em dado momento de clímax cênico, estes saltam de suas cadeiras saracoteando feito Iaiás , corporizando a emoção explosiva, gingada, molejante da personagem em questão?!? Como olhar esse patrimônio cultural, acumulado, entranhado em nossos ossos, quando descortina diante de nos as técnicas de contenção e relaxamento muscular, fluição da máscara facial, neutra, mínima, a própria e única escultura do rosto tornando-se personagem?!?
Pergunto: num mundo onde a fotografia do rosto no cinema, a semiótica, o jogo de leitura das emoções do mais reles seriado de TV, onde é o espaço da escola de teatro brasileira?????

Nenhum comentário: