segunda-feira, agosto 29, 2011

CIRCO VOX CONVERSA COM MIYASHIRO TEATRO DE BONECOS


A Elena e o Gallo do CIRCO VOX leram o post anterior e responderam com o texto abaixo

Olá Miya (posso te chamar assim? RS),
aqui é a Elena, personagem da vida real que faz a Judite, personagem da vida irreal... ou seria o contrário? Rs

Quero agradecer o carinho, ficamos muito felizes em ver que temos pessoas espalhadas pelo Brasil que lembram da gente e respeitam nosso trabalho. A gente tem uma certa frustração por ser artista no Brasil, sentimos como você disse, às vezes desamor, às vezes distração.

Ralamos os joelhos, quebramos a cabeça, perdemos noites de sono, nossa resistência se esgota em tardes ensolaradas como aquela... mas aí vem alguém como você e enche os recipientes vazios de novo, com classe e amor!!

Estamos na luta há mais de 10 anos e nessa trajetória colecionamos algumas pessoas como você, que torcem pela gente e já viraram amigos assíduos do Circo Vox, seja bem vindo!

Já temos mais de 5 espetáculos diferentes, você precisa conhecer!

Obrigada mais uma vez pelo desprendimento e carinho.

Bjs

Elena (Judite) e Gallo (Bobí)


Ao respondemos a essas amáveis palavras com o texto a seguir:

É...! A frase que resume a condição, o estado do artista criterioso, batalhador, com ciso por sua arte: UM SACO!!! Passei por tudo nessa busca da arte (menos o teste do sofá). Comecei com kung fu, passei pelo balé clássico, fiz estágio no LUME, Denise Namura, Alice K etc. Até que fui para Curitiba e ha 15 anos faço teatro de bonecos. Tem gente que reclama de ser passado para tras numa promoção dentro de uma empresa... cara! E a gente?! Tenho a impressão que um banquinho colou na nossa bunda e pensando que estamos caminhando, na verdade estamos sentados; dando tchauzinho para o povo que vai pra frente!!!!

Elena, fico imaginando o duro que deve ser tocar essa Lona do circo!!! Por que JAMAIS ouvi falar dela!? Mas isso não me deixa perplexo, quando o Circo Vox vem fazendo o que essa garotada do stand up agora começou, há muito tempo!!!
O cutucão a que referi no texto, os USP/UNICAMPs, é outra perplexidade dos meus já há muito desvirginados, estirados, arreganhados nipoólhos, quando refiro ao circo Vox... É impressão minha? Mas com quem falo, ninguem conhece, ou se fazem ignorantes!?
É impressão minha? VCs. tem apoio, reconhecimento da academia?
Estou falando besteira em dizer que o clown da "patrícia-pos-Collor", da Judite, que ela é a primeira clown urbana do Brasil? Por favor me corrija. É certa essa afirmação? Pois se não for, foi a revelação de outra possibilidade de clown que não a do palhaço clássico, desfuncional, com dificuldade de aprendizagem, atrasado e muitas vezes rural (caipira, jagunço, sertaneiro, bugre, índio); e todas essas figuras trágicas que a arte desavisada expõe para a delícia do ódio ao desconhecido.
Em Bauru, estava ao lado do pai da July, uma amiguinha do Felipe, meu filho de 5 anos. Ele é psicólogo, doutorando. Ele se debulhava de rir. Comparou a sua atuação, em particular, com a da Cris de uma outra cia. de teatro, e achou a sua personagem, de longe, muito melhor! E comentou se vcs. não sofrem com algum processo devido as cenas políticamente incorretas, apesar de se deliciar do riso; hahahaha!!!!! A dane-se!!!
Mas então tem esse outro ponto: para quem fazer teatro?
Para o público.
Daí, talvez o sr. D. M.(Presidente do SEXC,entenderam?), tenha aderido ao conceito de público-alvo. Espetáculos para criança.
Mas então exige-se, seja la quem for, que o espetáculo seja dirigido exclusivamente para crianças. Mas e os pais, irmãos e irmãs mais velhas, tios, avós, amigos solteiros do casal!!??? Há platéias minhas que chegam a ter 70% a mais de adultos em relação a crianças!!! E toda hora me dizem que meus espetáculos não são para crianças e trocam por uma adorável e muito mais barata CONTADORA DE HISTÓRIAS!!!!
Então foi por isso que escrevi sobre vocês. Sobre essa sensação de que a história parece repetir-se. De que não andamos para frente. De que realmente estamos com o banquinho preso na bunda, e que pensando estar indo para frente, na verdade a sociedade e alguns colegas de profissão é que estão regredindo, habilidosos em ganhar dinheiro e mais ineptos em fazer arte.
Vou publicas nossas missivas no blog, permesso????
Beijos!


Nenhum comentário: