sábado, agosto 27, 2011

...hoje sentei debaixo do sol para ver o Circo Vox. Rir das suas tripudices incorretas, das caricaturas urbanas, suburbanas, sobrurbanas... no meio das peripécias dos palhaços pensei que depois de fazer um trabalho como aquele valeria a pena abrir algumas latas. Se eles não abriram, na pressa de pegar a Castelo Branco antes do congestionamento, assim o fiz na honra ao, nas palavras da Judite, ao "melhor circo do Universo"!
Ri com a Judite no Jo Onze e Meia em alguma madrugada da década de noventa. A reveladora clown patricinha, "te ligo tá???"; e o Bobi apareceu, surgiu, agora é parceirão da Judite, enfim um casal clown: "benhê, que brega!". Vi em outros programas femininos de canais... de média audiência no ibope, mas somente agora em 2011 toquei na palma da mão desses heróis. É inacreditavel que duas décadas tenham passado e ainda a clown urbana da Judite seja a única nos circos brasileiros. Culpa da USP/UNICAMP que incensam apenas o clown rural? Culpa da música sertaneja? Do hip-hop?
O que falta para o Circo Vox morar no coração do Brasil? Ou é desamor ou distração. O que não falta é joelho ralado nesses profissionais.
Assim se cria o gênio brasileiro: com obscuridade e trabalho pesado!

Nenhum comentário: