sábado, maio 14, 2011

UTOPIA AGRÍCOLA-AINDA ESTOU NESSA / AGRICULTURAL UTOPIA: I'm Still in That

Estou aprendendo a lidar com a terra, o que posso dizer é que não é fácil.
No teatro muito do que aprendemos é algo próximo de uma disciplina militar. Aprendemos a fazer ataques, a produzir e dirigir os impulsos e emoções. Não sem propósito, a caixa cênica parece um veleiro, com suas adriças, roldanas, barras de luz e a tripulação necessária para fazer o barco andar. Em resumo, não pode vacilar, não há tempo para titubear.
Na terra tem que ter outro corpo. No início do meu "estágio" na plantação distendi todos os músculos possíveis e precisei ficar uns dias recuperando. Por que não se ataca a terra. A terra é muito maior, o corpo da terra é maior que o corpo humano, embora ela esteja disponível, prostrada diante da humanidade. É fácil permitir-se a abusar da terra e a atitude é ir com tudo, é quando as pessoas se machucam e percebem a dimensão do solo em que se pisa.
A terra esgota as pessoas.
Pode-se ficar apenas sentado ao lado de uma horta, de uma plantação, para voltar para casa e devorar um senhor prato de comida, como se tivesse revolvido 5 alqueires.
Estar ali, fazendo serviços de arrancar matinho, lavar cebolinha e fazer podas de cercas-vivas esta servindo para encontrar um pouco do modo de vida dos ancestrais. Na minha família algo próximo de 80% esteve envolvida ou continua ligada à produção agrícola. Talvez eu que sou um demi-urbanóide esteja compensando alguma lacuna psíquica, ou talvez esteja num projeto doido, sem objetivo algum, apenas para compensar, isso sim, o tédio, com atividade física gratuita. Não sei.
O fato é que trago para casa um constante estoque de verduras fresca e água de poço artesiano.


I'm learning to deal with the land, I can say is that it is not easy.
In theater much of what we learn is something close to a military discipline. We learned to make attacks, produce and direct the impulses and emotions. Not without purpose, the theater black box looks like a schooner, with its rigging, pulleys, light bars and the crew needed to make the boat ride. In summary, it can not waver, no time for hesitation.
In the land has to have another body. At the beginning of my "stage" in planting i'd injuried every possible muscle and needed to stay a few days recovering. Because no one attack the earth. The land is much higher, the earth's body is larger than the human body, although it is available, prostrate before humanity. It's easy to allow yourself to abuse the land and the attitude is to go foward, is when one get hurt and he realize the size of the soil where he steps.
The land exhausted people.
One can be just sitting next to an orchard, a plantation, to come home and devour a plate of food you like if it had turned over five acres.
Being there, doing service to uproot bushes, wash scallions and make pruning hedges that serve to find a little in the way of life of the ancestors. In my family something around 80% was still involved or linked to agricultural production. Maybe I'm a demi-urban guy doing a kind of therapy, or maybe a crazy project, with no goal, just to compensate, so yes, boredom, physical activity free. I do not know.
The fact is that I bring home a steady supply of fresh vegetables and well water.

Nenhum comentário: