terça-feira, março 15, 2011

Águas e tremores de março

In English at down

Mudando de tragé... quer dizer, de assunto. Estamos por aqui muito tranquilos, tentando por a cabeça no lugar depois de 13 anos dedicados ao trabalho insano de produzir projetos, espetáculos inéditos, numa intensidade insensata, despropositada, absurdamente fora da condição de se fazer arte. Quando nos dedicamos a viver de projetos, patrocínios e incentivos estamos nos dirigindo para um tipo de indústria que talvez não interesse a criatividade. Os artistas tornam-se espermatozóides na corrida de fecundar o acerto e ele vai ser somente um. O "um" exemplar de muitos que vão perecer no caminho. Réplicas podem ser dirigidas a esse blog.

Pois bem, deitadão na sala, procurando descondicionar o impulso de fecundar a criacão, assistindo os documentários da discovery, history, natgeo etc. Chegam do parque a Lu e o Felipe inundado de lágrimas. Foram alimentar os peixes do lago e a mãe para evitar que a criança derrubasse o trenzinho, toma o brinquedo com duas mãos esquerdas; entre cortar os nacos de pão e segurar o trem a coordenação motora resolveu alimentar os peixes com o trem do menino... E agora? Ah, deixa o trem no fundo do lago.
Procura o trem, presente da tia Patrícia, comprado na Disney, importadaço. Ah, esse trem já tem por aqui, só que é o dobro do preço... Então compra no Ebay, oras! tudo tem solução. Noooossa, até no Ebay o trem é uma nota!
Quer saber! Sou ou não sou o homem dessa casa? Quem apoia e carrega essa família nas costas? Ademais, o que custa descer até o lago para dar uma espiadela? Talvez o lago não seja tão fundo. E que alegria seria entregar o brinquedo na mão do Felipe?
-"Mãe! Tem que pegá o baco!!!" O barco, que barco Felipe!!!
No lago, não consegui ver nada, talvez seja fundo mesmo. Mas que maluquice dessa mulher escolher justo o lado mais fundo do lago para alimentar esses peixes! E o lago tem diversas partes rasas, por quê não jogou o trem alí? Ou alí? Grrrr! Alem disso a ponte emsombreceu a água. Não dá para ver o fundo.
Fui ao supermercado e na volta outra olhada. Olha só! o sol está iluminando a parte onde ela disse que derrubou o trem. Mas o vento está encrespando a água. Será que ela derrubou nessa parte? Nessa ponte? Não foi a do outro lado? Como ela pode ter certeza? Dá para ver alguns peixes no fundo, parece que nem é tão fundo... mas que coisa? O que é aquele brilhinho de metal? Nossa tem um corpo preto e rodinhas vermelhas... o trem! O trem está ali.
Vou levar as comprar, frango congelado, alho, vidro de azeitona e dois kilos de bananas para casa e volto de chinelo para pegar esse trem.
Muito bem, onde esta o trem? O trem sumiu! A água não para de encrespar e esses malditos peixes querem mais pão. eles veem minha sombra e pensam que vou jogar pão para eles. Malditos peixes, estão escondendo o trem. Quer saber, vou entrar na água cheia de lodo, de areia movediça me engolindo e deixando a água até o peito... mas não era raso esse lago? Que droga, o plano era água até o joelho e eu deveria abaixar, pegar o trem e sair vitorioso da missão!?
E agora?
O fundo ficou mais turvo. No parque sempre tem gente que sabe das coisas do campo, quem sabe não dão uma ajudinha... "Tilápia gosta de capim, quer ver?" Mas o que esse velho está a fazer? Jogando capim na água turva! E não é que as tilápias comem capim? Se matam para comer capim... a água esta toda mexida de peixes. Agora que não encontro mais esse trem!!!! E desde quando tilápia gosta de capim? Tilápia é o boi do lago? Não sabia.
Ah! Na casa tem piscina e se tem piscina tem a redinha, com um cabo de tubo de alumínio! Boa idéia que não tive antes!
Banho, banho, banho e o cheiro de fossa e peixe não sai.
Atravesso a avenida para o parque com a redinha e o tubo com tres metros. Nada bandeiroso! O parque inteiro de olho na pescaria. Ele vai pegar peixe. Primeiro vem um garoto: -"o senhor limpa o lago?" Depois tres paudeararas, inspirados na minha redinha, quebram uma forquilha verde numa árvore do parque e roubam uma saco de lixo das lixeiras do parque! para fazer uma rede! Com saco de lixo! Para pescar tilápias, carpas de 30 a 60cm.!!!!! Ah, e água ficou mais turva, de onde apareceu essa lama? Chega, vou para casa...


Changing from the traged ... I mean from subject. We are very quiet around here, trying to take easy, after 13 years of dedicated work to produce insane projects, shows unprecedented in intensity senseless, pointless, absurdly out of condition to make art. When we dedicate ourselves to arise projects, sponsorship and incentives. We are heading for a type of industry that may not interest the creativity. The artists become sperm in the race to fertilize the hit and it will be only one. The "champion" copy of many who will perish in the path. Critics can be directed to this blog.
Well, lying in the room, searching for recondition the anxiety to fertilize the creation, watching documentaries on Discovery, History, NatGeo etc. Arrive from the Park Luciana and Felipe flooded with tears. They feed the fish in the lake and to prevent mother to child brought down the train toy, take the toy from the boy with two left hands, cutting loaves of bread and catch the train toy at same time, the coordination decided to feed the fish with the train ... And now? Oh, let the train rests in the lake bottom.
Searching the train, this Aunt Patricia's gift, bought at Disney, imported. Oh, this train is already in Brazil, only it's twice the price ... So buying on Ebay, bah! everything has a solution. Well... the train even on Ebay is too expensive!

OK! Am I not a man of this house? Who supports and carries the family on back? Moreover, what it costs down to the lake to take the toy? Perhaps the lake is not too deep. What joy it would give the toy in the hand of Felipe?
- "Mom has to pick the boot!" The boat, Felipe! But what boat ?

In the lake, I could not see anything, you maybe it be pretty deep. But what this crazy woman to choose just the deeper side of the lake to feed these fishes! And the lake has several shallow parts, why not drop the train there? Or there? Rage! Besides the bridge shadowed the water. None can't see the bottom.
I went to the supermarket and got back to another look around. Look! the sun is illuminating the part where she said she dropped the train. But the wind rippled the water. Does she dropped in that part? In this bridge? There is the other on the other side. How can she be sure? I can see some fish on the bottom, it seems that neither is so deep ... but what is that? What is that shiny metal? His body has a black and red wheels ... the train! The train is there.
I'll take the frozen chicken, garlic, glass of olive seeds and two kilos of bananas to the home to cchange clothes and put the slippers.

Okay, where is the train toy? The train's gone! The water does not stop frizz and these damn fish want more bread. they see my shadow and think I'll throw bread to them. Damn fish are hiding the train. You know, I'll go into the water full of mud, quicksand swallowing me and letting the water up to my chest ... but this was not a shallow lake? Damn it, the plan was water up until the knees and I should bow, take the train and come out with victorious mission! "
And now?
The deep became more cloudy. The park always has people who know the things of the contry, maybe they give a little help ... "Tilapia like grass, you want to see?" But what this old man is doing? Throwing the grass to muddy water! And is not that tilapia will eat grass? They kill to eat grass ... the water is all stirred fish. Now that I never find that train, anymore!! And since when Tilapia like grass? Is Tilapia the ox of the lake ?
Ah! The house has a swimming pool and all pool has a net with a long rod of aluminum tube! Good idea, I never had before!
Bath, shower, bath and the smell of pit and fish will not leave.

Crossing the avenue to the park with net with three meters rod. Nothing flags! The entire park put an eye on the fishery. He will catch fish. First comes a boy: - "Do you clean the lake?" After three employes inspired in my net, break a fork in a green tree park and stealing a bag of garbage dumps from the park! to make a netfish! With trash bag! To fish tilapia, carp, with 30 to 60 centimeters .!!!!! Oh, and water became more turbid, from where it appeared that mud? Enoughto me , i'm go home

4 comentários:

Joba Tridente disse...

OBRIGADO!
Acho que esta é a sua melhor crônica, apesar do estado crônico.

Estava precisando rir.
Quase cai da cadeira.
Lavei os olhos e a alma,
seu japaulista.

Abração!

Jorge Miyashiro disse...

Snif! Snif! A tragédia de um alegria de todos... essa é sina do palhaço.
abração!

SergioRDG disse...

Ahaha. Concordo com o Joba. Sempre volto a esta crônica pra rir. Nada como a desgraça alheia para deixar nossas dores um pouco menos doloridas...

Jorge Miyashiro disse...

Ai, ai, ai... malvadões!
Minha vez vai chegar!