sexta-feira, setembro 24, 2010

OFÍCIO DE ESTAR PRESENTE

na onda do voluntariado. Tomei a iniciativa de ajudar, independente de empresas, instituiçõe se fundações. Escolhi um colégio do meu bairro, fui bem recebido e propus uma oficina de teatro de bonecos. 12 crianças inscreveram e 8 permaneceram. foram 3 dias interessantes e a partir do 2º dia fui abordado pela gripe do virus hardcore.
AS crianças vivem num estado de pressão social que eu não vivi. Quando eu brincava na rua, a preocupação dos meus pais era a de não passar das 21:30h. Eles não sabiam das brigas em que eu apanhava ou batia (muito apanhava e pouco batia); não sabiam dos meus amiguinhos que faziam troca-troca, ja que outra preocupação era com aquela garota "mal comportada"... Hoje, pergunto se sobreviveria no ambiente que muitas crianças vivem; ameaçadas até de morte; e estourado como era e ainda sou, se negociaria o conflito como os meninos de hoje negociam. Palavras como morte, estupro, violência e porrada saem com naturalidade e conformismo num timbre inocente, infantil.
Apesar disso, as crianças são belas. Obrigatoriamente belas. Inesgotavelmente belas.
Sua alegria contagia e la estou no meio de um mundo belo e cruel. E minha função é ouvir e mostrar, independente de transformar, de oferecer saidas, oferecer oportunidades. Claro que poderia disponibilizar, encaminhar, acompanhar embora haja um jogo complexo ao seu redor. Um emaranhado de sujeições, submissões, de impossibilidades que jargões motivadores são incapazes de romper. Embora, a verdade seja clara, professores e funcionários do colégio façam valer cada centavo de seu salário. Minha função foi sugerir a solução criativa, o caminho inesperado, o improviso, o absurdo plausivel, apesar daqueles subletrados que ainda acreditam que isso é discrepância, um paradoxo).
Mas eu estive ao seu lado. E mostrei uma possibilidade.

3 comentários:

origamix disse...

Que bom se todo mundo mostrasse uma boa possibilidade como você! As pessoas teriam mais chances de acertar.
Sempre vale a tentativa!

origamix disse...

Que bom se todo mundo mostrasse uma boa possibilidade como você! As pessoas teriam mais chances de acertar.
Sempre vale a tentativa!

Jorge Miyashiro disse...

fazer, fazer, fazer... é o que nos resta.
bjs