sábado, maio 22, 2010

ANO DO TIGRE, FINALMENTE!


De-me uma unha para apoiar.
Estenda-me um graveto e não me afogo...
basta um bafejo para me reanimar.
Não me de o teu abraço mas proteja-me com teu olhar.

todos os dias preciso voltar ao passado e lembrar por que escolhi fazer teatro.
Do cheiro antigo da caixa do palco, as sombras do bastidor, as garatujas no camarim, a paixão e o atrito de um elenco, o pânico, as pequenas vitórias, as derrotas, os improvisos, curativos na estréia e por fim a esperança de que fazer teatro vai mudar o mundo.
Hoje o fôlego falta para dar o texto, os músculos não obedecem; vem então as palavras de um velho samurai, numa entrevista para a revista Manchete (eles ainda existem): ... samurai cultiva o ki, a energia vital; quando se é jovem não se percebe isso, somente quando se envelhece; então qualquer coisa ajuda! Talvez esteja fazendo uma terapia junguiana sem saber. Alguém revelou que o orientador espiritual lhe aparecia em sonhos na forma de Winston Churchill; o que permite revelar que uma personalidade me inspira.
Numa peça de Gerald Thomas, com a platéia obstinada, Fernanda Montenegro nos bastidores incitava o elenco: temos que pegá-los!
E assim faço: grasping them! Agarro-os. Lanço uma bat-corda do abdomem e mantenho teso durante todo o espetáculo. Suo.

E hoje tive minha unha, meu graveto, o bafejo e o olhar protetor sobre mim. Estou dançando, uma dança selvagem, dança de guerra, dança do tigre para o ano do tigre.


dicionário do Felipe:

Cachoxo: sm.,cachorro.
cutchi-cutchi: sm., barra de tração de locomotiva.
dieita: trad.(direita) sm., vamos para aquele lugar bacana, legal, aprazível, lugar que eu gosto.
chocoiate: sm., chocolate.
subi peíipe: sm., me levanta (Levanta o Felipe).
Papai, comida?: sm., Papai, você já vai sair? Papai você vai ao supermercado?
Comida: sm., supermercado.

2 comentários:

Marilia Kubota disse...

Atiro a primeira pedra. Começando pelo fim, como boa "japonesa". Que lindo o vocabulário de Felipe! Outro dia a Harumi, de Sandra Hiromto falou: "por que banana parece espada?" Uma filósofa de quatro anos.
Falando sobre seu comentário no meu blogue, jamais pensei que um bonequeiro tivesse tantas habilidades poéticas. E este poema que você postou aqui também é lindo. Parece que termos muitas conversas futuras. beijão

Jorge Miyashiro disse...

Mas uma banana é uma kataná vegetal!!!!! que acuidade dessa garota!
Obrigado! Obrigado!
bjs.