quinta-feira, agosto 27, 2009

OS SUBSTITUTOS -02



Aqui estão aqueles blocos que viram no último post.
Uma definição melhor, né? Parecem o Homem de Ferro! Mas já ponho o nariz e os olhos.

Semaninha corrida. Cuidar do Felipe, mandar documentos para o edital que (Om Shiva! Om Shakti! O Shiva Preman Shakti!) consegui emplacar. Por falta de confiança em mim mesmo (to falando, minha auto-estima tá na reserva- e não é carência, não) acabei passando para um secretário a função de recolher a papelada... daí o comprovante de residência estava inválido, e corre atrás de uma manobra sedex para criar um comprovante... E vai no correio e os caras não aceitam uma folha fora do envelope, tem que envelopar!!!! E o cartão-postal?? E corre atrás de um envelope. Na agência, de novo, candidamente o cara pergunta: mas é para você mesmo?!? ... NÀO CARA ! É PRO OSAMA BIN LADEN! SEDEX PRO HOMEM, AI SE NÃO ENCONTRAREM! EU PROCESSO ESSE MONOPÓLIO DESGRAMENTO... e por aí!
Será que estou nervoso?
Olha, antes eu ficaria uma semana remoendo esse episódio. Hoje, mal consigo relatar o geral desse acidente... apagou feito fósforo.
........................................
Preciso se uma idéia para um novo espetáculo, abro uma Veja e na entrevista das páginas amarelas está lá; autor vende livro de boas idéias. Recebo um beijo da boca da musa!!!! Ta aí! Uma peça que fale de boas idéias, tremendo! Só falta ter alguma....
Calíope diz: -Mas que porra de artista! Dou tudinho mastigado e ele quer o que? Depois da mastigação vira merda!

........................................
Por que os filmes de kung fu fazem tanto sucesso?
Por que o artista brasileiro reluta em pesquisar os temas marciais para a produção de espetáculos?
Relutar é bondade, essa classe tem nojo de cenas de combate!
Mesmo a Ilíada, com pedras esmagando crânios, lanças trazendo os intestinos para a luz do dia... é a obra basilar da civilização ocidental!
O patético é que a relação ator/diretor é uma relação mestre/ discípulo. Tem até o famoso treino de carregar balde onde já vi muito ator/atriz fazendo faxinas monumentais para os diretores; uma relação de total submissão onde acreditam receber o dom da arte como pagamento. Sem falar no famoso teste do sofá. Muito embora este seja um teste não doloroso, mas prazeroso, venhamos e convenhamos.

A única diferença é que no final o diretor será rpocessado por danos morais ou coisa pior, para a alegria das revistas de fofoca. Qual o preço do conhecimento? Falo de conhecimento, não de fama e projeção.
Quanto vale aprender um ofício como o do teatro de bonecos?
Quanto vale aprender uma técnica?
Ou você é daqueles que matam o mestre no meio do filme?
Direto vejo os "novos diretores" que mataram um mestre, com um acordozinho de polpudo ressarcimento.
Ressarcimento de quê?
O cara que apareceu pedindo pelo amor- de- Deus para AJUDAR e arrumar alguma coisa pra fazer. E na saída pede um ACORDO!
O pior que saem sem ter aprendido nada.
Basta abrir nas páginas de teatro infantil; estão lá lado-a-lado dos mestres, ganhando prêmio, como se fossem engendrados pelos deuses aqui na terras. Uns malditos PNCs!!!!

....................................

DICIONÁRIO DO FELIPE, agora com três anos de idade.

Vuvuví: trem
Piuí: trem
Ewe: trem
Aui: trem
Trilo: trilho de trem
Mom: mão
Oiú: olho
Um: número um
Sheti: número dois
etc.

Nenhum comentário: