segunda-feira, junho 08, 2009

POBRES TIAS!


Inauguração do Espaço Sobrevento. Laura, abuelo, Surley Valério e Dario Uzam, prestigiando os amigos.


Tá bem! Fui meio duro com as professoras.
Afinal, que trabalho que dá endireitar um moleque encapetado! Imagine então o bichinho iniciar seu apetite literário com uma obra que "incita a pornografia", como está sendo classificado o trabalho do meu amigo. Imagine então quantos amigos estão deixando de chamá-lo de amigo! Afinal ele tornou-se um pornógrafo! Um Hugh Hefner das letras. Imagine as hordas adolescentes, cultivando suas espinhas com punhetinhas batidas para as letras do Joca Reiners Terrón! Pior de tudo, um comparsa do José Serra, no seu complô para destruir a Educação em São Paulo (por favor, estou sendo irônico- mas se acharem que não, podem me chamar de terrorista, eu gosto!)
Ou fica muito rico ou suicida!
Acho que vai preferir a riqueza...

Eu não tenho jeito.
Irrecuperável.
Como podem ver minhas professoras sofreram comigo.
Uma delas, a dona Lurdinha deve ter uma bursite de tanto fazer o movimento pronador do pulso para torcer minha orelha. Ela queria arrancar, mas orelha de burro tem cartilagem poderosa.
Tinha uma que gostava de dar croque (era um soco, mesmo) com os nós dos dedos na minha testa e de alguns companheiros . Uma década depois aprendo que a parte mais resistente da ossatura é justamente a testa, onde cabeçadas podem provocar lesões terríveis, técnica de touro, saca? A coitada da tia, deve estar com uma mãozinha de tiranossauro...

Meu pai.
Meu pai quando se enfurecia chutava minha bunda. A bunda é músculo e gordura, não vai provocar lesão nenhuma para quem acertar essa massa carnosa. Mas eu não ficava quieto, esperando o golpe no centro-sul. eu pulava, desviava. Então acontece o que qualquer jogador de futebol sabe muito bem o que acontece quando erra o chute na bola, o passe-em-falso. A força do chute provoca o desequilíbrio do corpo e a desatenção lesiona o joelho.
Meu pai que era um assíduo corredor, hoje não corre mais.

Minha mãe.
Minha mãe batia de todas as formas. Tapa, soco, beliscão... na bunda, no braço, na cabeça, nas costas. Usava mão e chinelo como instrumentos corretivos.
Morreu!
Coitada, mas não foi porque me espanc... me educava.
Foi porque Deus precisava de uma professora para educar os anjos. Estavam caindo muitos. Precisavam de uma boa educação de mãe. E a dona Carmem era uma educadora de mão cheia. Enchia a mão na minha cara...

Tem gente que se assusta com a pancadaria educacional que vigorava antes do Estatuto da Criança e Adolescente. os pais batiam mesmo, na proporção da fúria. Não tinha essa de bater por amor. Eu na minha vez de bater aparece essa lei. Cadeia em quem bate em criança, sem direito a fiança. Felipe vai para três anos e a impressão que tenho é que ele é mais educado que eu.
Quando ele passa dos limites é só falar firme e levantar o dedinho que ele para e sai de lado.
Ontem ele me deixou puto. Com o que? Fica me dando porrada. E tem uma mãozinha pesadinha. Aí eu fui sair das pancadinhas dele e a mãozinha pegou de mal jeito. Chorou.
Alonga, passa Acheflan... Abre um sorrizão e vem para cima do pai enchendo de pancada.

Não tem nada a ver isso, mas no Bardo Thodol, o livro tibetanos dos mortos, diz que o filho escolhe os pais. A consciência vaga em meio dos casais em cópula e se concentra em um que lhe agrada mais. O esforço de concentração é que provoca a concepção e essa consciência irá se incorporar no veículo físico que será o filho do casal.
Como podem ver a pornografia, esse voyerismo impudico, nada mais é que uma reminescência espiritual!
Será que por isso, os padres católicos...
Bem, vamos falar de teatro de bonecos que é nosso assunto...
Mas, profes. Desculpa aí!

Nenhum comentário: