terça-feira, julho 22, 2008

NADA INTERESSANTE...

Pois é...

Acho que definitivamente estou sentindo as limitações da idade. Um certo cinismo e outra pitada de pessimismo. Mas como alguma revistinha de pseudo-ciência publicou; os pessimistas é que fazem o mundo funcionar. Se tudo fosse positivo e colorido, haveria uma condescendência generalizada para as atrocidades e etc. etc.

Bom, soube que rolou um festival de bonecos em Curitiba. Ouvi falar.

No boato de um festival, assisti o Truk´s de São Paulo, velhos amigos. Estão tentando romper as suas fórmulas e aplicaram os resultados de suas pesquisas, talves do Centro de Pesquisas do Teatro de Animações, residido na Biblioteca Monteiro Lobato, no Centro de SP. No elenco havia uma mulherada e o Claudemir, Hoje tem uma homarada e o Claudemir!!! Claudemir é um funcionário no estilo anos 80, daqueles regimes japoneses que vigoraram. O cara crescia com a empresa. É prata da casa. Os patrões devem falar para ele que é "quase sócio", e ele acredita!!! Um "quase sócio" é o o quê? O cara que fica com as dívidas?

Vi uma amiga de Bauru, Mariza Basso, que está especializando em teatro de formas animadas. Montou um Circo de Objetos, e agora Sítio de Objetos. O problema da Mariza é que cresceu rápido e não está tendo tempo para fazer aquela reflexão ociosa sobre seu trabalho e aí a coisa não está crescendo. Falta habilidade motora. Falta soluções criativas numa forma de teatro que só funciona com inversões de significantes.

Numa escapada fui ver uma mostra de curtas-metragens no cine Novo Batel. Fui ver "O Cortejo" do Joba Tridente. Pensei que ia ficar junto ao Joba, só eu e meia dúzia, passando alguns minutos comentando sobre sua película. Engano meu, lotou! Parecia estréia de Star Wars!!!
"O Cortejo", para alívio meu é rápido, conciso e preciso. Tem boa atuação do elenco e uma fraçãozinha canastrona dos figurantes.
Fiquei surpreso com a produção cinematográfica de Curitiba. Não conhecia esse povo de cinema. Na verdade fazia uma imagem ruim de "cinema nacional". Erro! Tem produção boa e promissora. Fiquei com vontade de fazer cinema!

Estou praticando uma meditação especial.
Sempre se fala em meditar concentrando entre as sobrancelhas, onde mora a "terceira visão. Intui que poderia fazer essa concentração na "terceira visão" onde realmente se localiza, na hipófise!
Perguntarão os leitores: como fazê-lo?
Imaginei que atravesso um lápiz no céu da boca, que atravessa as fossas nasais e por fim acaricio, delicadamente, muito delicadamente para não criar tensão, os espaço sobre as fossas nasais. Como se fosse um terceiro andar dentro do crâneo.
Essas imagens dramáticas, um pouco repulsivas, promovem a minha concentração, virtude de suma inportância nesse assunto.
Esse negócio de luz dourada ou lilás, caverna com flôres ao pé do mestre, nunca foi muito inteligente, para mim... Aliás, nem sei porque ainda faço meditação. Não levitei, não adquiri poderes curativos e nem despertei alguma forma de sabedoria transcendental.
Assisti o INTO THE WILD, do Sean Penn, que fala justamente isso, de um cara que procura algo incerto para fugir das idiossincracias da sociedade e principalmente, da hipocrisia familiar. O cara morre. E quando morre ele tem uma visão, transcedental...
É um filme biográfico, com o perdão para as exéquias ao falecido, foi uma puta morte inútil! Não fiquei nada comovido com a visão do cara. Morreu no Alaska, querendo voltar para a família, encontrar os amigos, pegar aquela menininha de 16 anos que queria dar para ele... mas morreu, envenenado e de fome...
Sem glória alguma, a não ser de ter sua vida filmo- fantasiada pelo Sean Penn... Não vale a pena obrigado!
Talvez tenha essa glória em vida, sendo filmado pelo joba, quem sabe! Muito melhor!

OM NAMAH SHIVAYA!!!!!!

OOOOMMMMM!!!!!

Nenhum comentário: