quinta-feira, novembro 22, 2007

ESCAPISMO, PELAMORDEDEUS!!!

Por favor! One just truly soap opera!!!!
Quero afogar-me na irrealidade fantasiosa.
Como devem ter percebido estou revisitando as décadas anteriores para filmes. Ver Fama, Bonequinha de Luxo, Descalços no Parque (Jane Fonda tesudíssima, Robert Redford parecendo um paquito)...

Não vi a Tropa de Elite.
Vi Harry Potter, tá uma merda de chato.
Não comprei o livro mas já sei que ele morre.
Como tudo afinal...

Mas existe um fôlego para arrematar 2007. Jack Aubrey vai em missão secreta nas Ilhas Maurício e Reunião, sudeste da África, combater a frota Napoleônica; convocado pelo Dr. Stephen Maturin: aaaaaaaaahhhhhhhh!!! (orgasmo polimúltiplo)
Saiu o 5º volume da coleção Mestre dos Mares de Patrick O´Brian. O comandante Aubrey está casado com Sophia Willians, mora com a sogra, uma sobrinha duas nenês gêmeas e a criadagem. O encontro de Maturin com as gêmeas dispensa comentários (trad. Domingos Demasi):


“Jack conduziu Stephen escada acima ao interior de um quartinho inclinado, sobre cujo soalho estavam sentados dois bebês carecas, vestidos com roupas limpas. Tinham o rosto pálido, globular e, no meio de cada rosto um nariz surpreendentemente comprido e pontudo que chamava a atenção da mente de um observador imparcial. Elas olharam firmemente para Stephen: ainda não haviam atingido a idade de qualquer contato social que fosse e não havia a menor dúvida de que o tinham achado desinteressante, maçante, até mesmo repelente: seus olhos derivaram para alhures, rejeitando-o, ambos os pares no mesmo exato momento. Podiam ser infinitamente velhas ou seres de outra espécie.
- Belas crianças - observou Stephen. – Eu as reconheceria em qualquer lugar.
- Não consigo distinguir uma da outra- comentou Jack.- Você não acreditaria na algazarra de que elas são capazes de fazer quando as coisas não são do seu agrado. A da direita deve ser Charlotte.-
Ele olhou-as e elas olharam, vigilantes. – Oque acha delas, Stephen?- perguntou, batendo sugestivamente na testa.
Stephen retomou seu papel profissional. Em sua época de estudante, ele fizera o parto de um número grande de bebês na Rotunda, mas, desde então, sua prática se restringira aos adultos, particularmente entre adultos do mar, e poucos homens de sua posição profissional podiam ser menos qualificados para essa tarefa; entretanto ele os levantava, auscultava seus corações e pulmões, abria suas bocas e perscrutava lá dentro, flexionava seus membros e fazia movimentos diante de seus olhos.
- Qual a idade delas?- indagou ele.
- Bem, já devem ser bem velhas- disse jack.- Elas parecem estar aqui uma eternidade. Sophia é quem sabe exatamente.
Sophia entrou, e Stephen, para seu prazer, viu ambas as criaturinhas perderem seu ar antigo, eterno; sorriram, sacudiram e estremeceram convulsivamente de alegria, meras larvas humanas.”


Estava tendo que me virar com uma biografia de Alexandre em simultâneo com um Michael Ontatjie soporífero. Ondatjie às vezes parece Hemingway em O Sol Tbém. se Levanta; às vezes parece que apenas “quer” imitar.
Enfim, estou salvo.

FALANDO EM SUPERAQUECIMENTO...

Fui correr no São Brás, Santo Inácio, dois bairros próximos daqui. Atravessei uma rua linda cheia de bosques de mata Atlântica nos terrenos ainda vazios. As construtoras estão ocupando, derrubando tudo. E quem compra ajardina com gramado e primaveras. Depois pagam por faxineiras para lavar suas calçadas com compressores de água. Isso quando fazem calçadas. Então as mulheres, donas de casa com diplomas universitários, em empregos de mentira, passam voando com os filhos em Ragers, Mitsubishis...
A humanidade não em salvação.

AGORA: TEATRO

Ainda bem que tenho esse blog. Falei aqui o que não consigo falar em uma oficina. Se levantasse um oitavo das questões que levanto aqui numa oficina, no segundo dia estaria vazia.
Certa vês disse que “devemos fazer um teatro que incendeie os corações”... Meio messiânico concordo. Mas estava na faculdade ainda, era jovem etc.
Recebi o apelido de Nero.
Não é para entristecer?


Nenhum comentário: